domingo, agosto 17, 2014

Em meados de agosto...

Muitas pessoas me perguntam: As suas coisas são caras?
Acho essa pergunta um pouco desagradável. Vender para mim não é fácil, nem um pouco, mas eu preciso pensar que um dia eu vá poder viver disso, da minha arte, que um dia eu tenha tempo para criar tranquilamente, com uma vida menos corrida e mais prazerosa. Então, as minhas coisas não são caras, elas tem um valor, que você pode estar disposto ou não a pagar. 
Para as pessoas que não querem pagar o valor de uma arte original, a Urban Arts faz alguns prints de alguns trabalhos que eu disponibilizo para isso. Entra no site e dá uma olhadinha: http://bit.ly/1l49Ajk ;)

Essa semana trabalhei em algumas coisas:






Bom, hoje foi o aniversário da minha grande amiga Denise Souza. Nem tenho muitas palavras, ás vezes somos presenteados com amigos para a vida toda, outras vezes por irmãos. A Denise é minha irmã, uma pessoa que me ajuda, me dá bronca, me traz para a realidade quando precisa, alguém que com certeza faz a diferença na minha vida, é uma mestre em sabedoria. Nesse dia eu só posso desejar que ela seja ainda mais feliz! <3 p="">

A produção continua, a luta também. Não tenho tempo para desanimar, meu objetivo é claro. :)
Obrigada a quem visita o blog, deixem comentários, ideias, opiniões...:)




sábado, agosto 02, 2014

Naquele Inverno, o sol começou a brilhar de novo?

Estou sumida aqui do blog, tenho vontade de vir escrever, mas as obrigações do dia-a-dia tem tomado muito do meu tempo e muitas vezes prefiro ficar com minhas palavras, pensamentos e sentimentos guardadinhos dentro de mim. Eu penso muito, eu sinto muito, isso tantas vezes é bom, mas outras tantas também é ruim, minha imaginação, meus sonhos, todos estão aqui, o tempo todo comigo. Perdi meu cachorro Dentes em 13 de Junho, foi muito difícil. Antes dele partir, foram 6 meses de muito sofrimento, desde que voltei da Irlanda em 2012, ele vinha mexendo muito em seu rabo, tentei de tudo, tinha muita pulga, conseguimos dar fim nelas, mesmo assim ele continuou obsessivo pelo rabo, teve que usar o colar elisabetano por mais de 1 ano, no início desse ano o rabo piorou, em um dia ele comeu um pedaço de seu rabo, corri na veterinária, tivemos que amputar o rabo, daí por diante nossas vidas foram sofrimento, é uma região de cicatrização ruim, ele se arrastava no chão, sangrava muito, meu bichinho sofreu muito, começou a ter problemas na pele, foi definhando, eram banhos no local quase todos os dias, meu pai me ajudava, antibióticos, gastos sem fim. Ele envelheceu muito com tudo isso, seus olhos já não sorriam mais para mim, era como se pedissem por paz. Meu irmão tentou, levou ele no Hospital Público, disseram que ele estava bem, que eram fungos na pele, passaram mais remédios e banhos. Na mesma semana em que parecia começar a melhorar, ele morreu. Finalmente parou de sofrer. Fazia tempo que eu não sentia tão fundo uma perda. Meu cachorrinho de 15 anos, meu companheiro que sorria para mim, que me recebia pulando sempre, tinha partido. Foi um difícil 1º semestre, meu gato Nenem está com câncer, todas as noites peço que ele não sofra, que a doença não judie dele, não se tem muito o que fazer. Ele retirou um olho em Janeiro e tenho cuidado para que ele seja feliz aqui comigo, com o Paulo e com a Lolla, nossa gatinha de 1 ano. 

Tenho desenhado cada vez mais, poucos são os dias em que não desenho, é a primeira vez na minha vida que o desenho é uma constante. Isso é ótimo, tenho melhorado muito! Eu sempre fui quem eu sou, sempre quis desenhar, mas quando criança, adolescente e jovenzinha, achava que não era boa o suficiente e muitas vezes ficava quieta, imaginava mas não desenhava, gostava da sensação de ter algo só meu, que só eu conhecia. É meio louco, mas era assim. Hoje não, eu desenho, coloco pra fora até os desenhos mais toscos e bobos, claro que esses eu não publico nem no facebook, nem aqui... são os meus estudos, até os mais bobos podem um dia render um bom desenho. 
Continuo dando aulas, hoje sou uma Professora melhor, tenho melhorado a cada dia, a professora que eu fui no passado, parece uma sombra perto da que sou hoje. :) Cansa ser professora, fica cansada, sem energias, parabenizo quem se aposenta nessa profissão. São heróis sem reconhecimento.  
Quem entra aqui pode ver que escrevo desde 2005, 2006... uma loucura, tanta coisa aconteceu, tanta coisa acontece. A impressão que tenho é de que o tempo tem corrido mais rápido para mim, para os meus sonhos, para as pessoas e as vidas de quem eu amo. 
Vou postar os desenhos que fiz nesse ano. 
Tentarei estar mais presente aqui no blog, escrevendo sobre os desenhos, os materiais que eu uso, minhas influências, as músicas que gosto de ouvir enquanto crio... essas coisas, não sei se há curiosidade sobre isso, mesmo assim, vou escrever. :) Minha página com ilustrações é https://www.facebook.com/GiArchanjo
















Ilustração que fiz para o SOS Gatinhos - para ajudar nas despesas

Homenagem ao meu Dentes - meu cachorrinho querido. 


terça-feira, abril 08, 2014

Casa Paul Gicel

Para você que acompanha esse blog, estou agora com alguns de meus trabalhos na Casa Paul Gicel: 

Clique e confira, alguns itens podem ser comprados na loja da Tanlup: http://www.tanlup.com/store/31756/paulgicel

Quanto mais curtidas tivermos, mais é a chance de vendermos e transformarmos em realidade o sonho da Casa Paul Gicel. 

:) 

https://www.facebook.com/paulgicel



terça-feira, março 25, 2014

Nossa casa...

Cansada de procurar galerias, lugares para tentar colocar minhas coisas no mundo, eu e Paulo resolvemos pensar no nosso próprio lugar. A princípio estamos com a loja virtual na Tanlup, mas a ideia é mais audaciosa. Queremos uma casa, um lugar que transpire arte: desenho, pintura, música, escultura, literatura, papos filosóficos, aulas e oficinas diversas.
Estamos pensando em cada detalhe para que o nosso sonho possa se tornar realidade.
Primeiro vem a loja virtual, em breve, com muita luta e muitos pensamentos positivos, teremos o nosso espaço físico que vai unir diversas paixões de nós dois.

Dedos cruzados e muita luta.
Esse agora é o lema!
Segue o link da loja virtual: http://www.tanlup.com/store/31756/paulgicel
E o link da nossa fanpage no facebook: www.facebook.com/paulgicel


Se puderem curtir, compartilhar, divulgar, comprar... risos toda ajuda é muito bem-vinda!

Little - desenho feito na Irlanda em 2011

terça-feira, fevereiro 11, 2014

Mini Wedding

Desde que começamos a ter a ideia do hapenning/casamento fiquei com vontade de escrever um pouco sobre o processo todo, os meus sentimentos durante os meses que antecederam essa aventura. 
Foram 3 meses de muito trabalho, de muitos gastos, de confusões, decepções e realizações.
No fim me perguntei: valeu a pena? Valeu. 
Olhando a alegria dos meus pais que nunca pensaram que veriam a sua única filha mulher casar, valeu muito a pena ter podido dar a eles essa alegria e o mais importante, do meu jeito, do jeito do Paulo. Claro que não saiu perfeito, como queríamos, mas escolhemos algumas coisas que seguimos com elas até o fim. Não tivemos padre, não tivemos pastor. Queríamos alguém que fosse espiritualizado e que nos conhecesse de verdade, que falasse da gente com verdade, a escolha da Denise foi a mais acertada. Em certo momento, meu pai disse: - Acho que todos casamentos deveriam ser assim: de verdade. Você sentir que quem está ali, fazendo a cerimônia, está ali de verdade e estará em muitos outros momentos da sua vida, porque é da sua família apesar de não ter o seu sangue. Minha mãe disse: - Estou muito feliz, ela desde pequenininha sempre disse que não ia casar, que não gostava dessas coisas e hoje isso tudo... estou muito feliz. Ouvir essas coisas das pessoas mais importantes para mim, não tem preço. 
Os julgamentos de pessoas que sabiam que eu não gostava da palavra casamento e de todo mimimi e bafafá que ela envolve, não tem importância para mim, apesar de tê-las como pessoas queridas, não foram capazes de entender que tudo envolvia bem mais do que um desejo ou um mero capricho meu. Eu quis agora, eu sei porque quis, eu mudei de ideia, eu sou livre para mudar minhas ideias, achei que nesse momento tinha que fazer isso e fiz. Minha consciência está limpa, fui verdadeira comigo e passei por cima do meu próprio discurso de que jamais casaria no civil ou faria uma cerimônia qualquer que fosse. Casei. Na minha cabeça, já estava casada com o Paulo, mas formalizar foi registrar isso no tempo, na história de nós dois e no coração das pessoas que nos querem bem de alguma forma, sem esperarem nada de nós.
Tive decepções, pessoas que não entenderam essa minha postura e de alguma forma ficaram magoadas comigo. Eu entendo e também fiquei magoada, estou magoada, não imaginava isso de forma alguma. Imaginei que a partir do momento que soubessem do casamento, ficariam felizes por conhecerem minha história de vida. Eu estava errada, só a minha felicidade não basta, precisava mais. Precisava algo que ainda não sei e que talvez nunca saberei. Isso me entristece, mas de alguma forma me amadureceu um pouco mais. A felicidade dos meus pais, do meu marido, dos meus gatos e cachorros, de quem eu amo e me entende como a pessoa que sou, me faz ser mais feliz e verdadeira comigo mesma. 
Assim, fecho um ciclo, inicio outro e continuo caminhando em busca de uma paz que venho conquistando dia a dia. 
Agradeço a todos que nos ajudaram nessa aventura, eu sou péssima em organizar festas e eventos, sou introspectiva e gosto de ambientes calmos e paz. Ser o centro das atenções no mundo real, não é comigo, em vários momentos me senti desconfortável e com vontade de me esconder embaixo de alguma cama, mas enfrentei tudo, lembrava da minha vó Donata e pensava: - Por cima de medo, coragem. Seguia em frente. Agradeço a todos que compareceram: a minha família, a família do Paulo. Todos que fizeram esse dia ser especial e ser de superação para mim e para ele. Eu sabia que ele estava tão perdido quanto eu e que já estávamos fazendo parte de uma engrenagem maior do que imaginamos e que tínhamos que enfrentar tudo com coragem.
Obrigada aos comentários lindos que recebemos, obrigada pelos presentes que vão nos ajudar muito nessa nova/velha etapa da nossa vida.
Obrigada por tudo e que o universo diga amém a todos os votos sinceros de felicidade e de amor que recebemos.