segunda-feira, janeiro 09, 2012

Primeira postagem do ano.

Nesse fim de semana li muito Clarice Lispector, eis que inspirada por toda essa leitura, por ela e por mim, comecei uma tela. Me deu na telha, no sábado comprei a tela e no sábado a noite já comecei a pintar. Ainda não terminei, mas a sensação está sendo boa. 
Sinto saudades do meu cavalete, acho que sou apaixonada por meu cavalete e minhas tintas, porque penso neles e me dá aquele friozinho na barriga, aquele que a gente sente algumas vezes... Acho que quando eu voltar para o Brasil vou morrer do coração de tantas saudades que sinto de tantas coisas. 
Eu quero voltar um dia, mas sinto que preciso ter meu inglês bala e preciso conseguir sobreviver das coisas que faço, não vejo outra alternativa para mim. Eu amo isso, eu amo pintar, eu amo essa angústia que sinto, eu amo meu material de pintura, eu amo história da arte, eu amo, eu amo.
Eu sempre soube que eu tinha muito amor em mim, mas não sabia que era tanto e tão profundo. Sempre achei que tivesse algo errado por eu sentir assim, eu sempre fui a estranha e todo mundo normal. Hoje eu não me sinto estranha, eu vejo os outros e acho estranho que vivam em um mundo de tanta superficialidade. Eu nunca fui superficial e sempre fui estranha. 
Há algum tempo me falaram que o amor não é nada do que eu achava fosse. 
É tudo que eu sempre pensei, amor é isso que eu sinto dentro de mim e que me faz a cada segundo imaginar a minha volta para a minha casa, para a minha família, para o meu gato e meu cachorro. Amor é ter medo do meu gato me estranhar e não lembrar do meu cheiro quando eu voltar. 
Amor é toda a minha intensidade, toda a minha vontade. Sou eu prestes a explodir de tanta saudades que sinto e tendo que ser forte, porque ainda não consegui conquistar nada do que queria aqui. 

É começo de um novo ano. 
Novo, totalmente novo. 
Quem vai dividir apartamento comigo e com o meu gato quando eu voltar para a São Paulo? risos.  
Não faz parte dos meus planos voltar para o Ipê.
Quero Consolação, Avenida Paulista, Frei Caneca... rs e por aí.

Beijos pra quem visita aqui, see you tomorrow!

Um comentário:

Papagaio Mudo disse...

Oi,

Boa prosa cotidiana.
Abraço,

Gustavo